.
.
.
.
.

domingo, 28 de setembro de 2008

das surpresas tão boas

quando alguém viaja, ou passa por qualquer lugar, e diz: "vi uma coisa que me lembrou você" é bom (tomando-se por verdade, obviamente, que a pessoa vê algo que seja bonito, ou do agrado do ente lembrado).
aí um seu amigo viaja e diz: "comprei uma coisa pra você. é a sua cara".
e você tenta manter a imagem de quem não está curioso, pelo presente ("mas não espere tanto, é uma lembrancinha, uma coisinha..."), claro, mas talvez mais ainda pra saber o que a pessoa bem quista acha que seja a sua cara, e até consegue. ou acha que consegue manter a máscara de não-curiosidade mórbida.
o amigo chega. o presente é entregue e, quase surpresa, o presente só não é mais a sua cara, porque não tem seu nome escrito (ou será que tem e, como tá em outra língua, você que não percebeu?). é impressionantemente a sua cara. uma coisa que você compraria, com certeza.


isso me lembra a minha mãe (tá. várias coisas me lembram a minha mãe...).
ela é uma presenteadora incrível. consegue achar, comprar, fazer, encomendar coisas ao gosto do presenteado, quase se esquecendo do gosto próprio. sério. as chances de eu não gostar de uma coisa que ela compre por mim são quase nulas - e não porque seja a minha mãe, blá, blá, blá. é pela sensibilidade dela em relação ao outro, ao gosto, às preferências do outro. eu tento ser assim (eu tento ser um monte de coisas que ela é...). acho até que conseguirei ser completamente assim um dia (não é fabuloso quando você consegue ser uma coisa que você admira? ainda que seja uma coisinha pequenininha...).



olha, ser lembrado por um amigo é bom.
perceber que uma pessoa querida te quer bem é bom.
ver que alguém presta atenção em você é bom (nesse aqui existem excessões. falemos sobre elas um dia).
hoje eu acordei achando que viver é tão bom!
(ajudaram o vento friozonho e o céu cinza!)


agradeço mil, viu?

5 comentários:

quase disse...

uhuuu! \o/

Putz, eu concordo 100% com td q vc disse =D

E legal acordar de manha e vir ler uma coisa legal q vc escreveu! Ja ajuda a comecar bem o dia!

;*

Bowler Hat Strange Guy disse...

Parece que tudo se encaixa quando a gente acha que tudo é muito bom...
Ainda bem que não é todo dia que a gente acorda assim: perderia a graça, mais cedo ou mais tarde (pros outros, porque eu nasci provido da muito simplória e provinciana capacidade de não enjoar nuncajamaisdejeitomaneira do que quer que me seja bom! :D)...

Beijo, be-like-your-mom, belo texto e mais belo mote!

E olha que sorte eu dou na vida: peço esmola e ganho uma mala cheia de euros!
Das visitas a melhor, logo de cara!

Faço minhas as vossas: congeminai entre meus favoritos! Como sempre, e como tudo que vem da senhorita, né... :)

Eu já disse "BEIJOS!"?
:)

Luiz Felipe Leal disse...

ser lembrado é muito bom.
é a dura necessidade que temos, mas boa, de nos sentirmos livres por sermos onipresentes, na vida daqueles que cruzam conosco.

esse domingo foi bonito,
mas deve ser eu,
não consigo conviver com todo esse cinza.
=p




grande abraço.

tiago araujo disse...

mas, e, quando qualquer coisinha me agrada? pq eu sou assim, sabe, me contento com tao pouco quando o assunto é ser presenteado.

pfff... devia ser mais exigente!!

beijos, mayra! ;D

Joyce Pfrimer disse...

ser lembrado é uma sensação deliciosa mesmo!

Eu posso querer ser igual sua mãe tb? Ela é mestre na arte de lembrar das pessoas com carinho mesmo ne? gracinha ela!

=*