.
.
.
.
.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

de ser macho bagarái


Eu tento, eu tento, mas a natureza não colabora.


Depois de duas doses (servidíssimas) de café, estou eu no auge da minha criação acadêmica, brainstorming total, quando entra uma mosca pela janela do meu quarto. Era uma daquelas verde-furta-cor-nojento, sabe? Com duas vezes a circunferência do meu piercing - o do nariz. Após 30 segundos de voos rasantes sobre a minha cabeça, e sobre o resto do quarto, ela já havia me irritado profundamente.

Tentei métodos não agressivos do tipo xingar desde a tataratataratataravó até a última geração que essa mosca viesse a proporcionar ao mundo, apaguei a luz, tampei a luminosidade que vinha do computador, acendi a lâmpada do corredor e a monga foi pra lá. Mas eu não ia deixar a luz do corredor acesa - não sou sócia da ceb, né? - e pensei na minha roomie, que estudava na sala. Deduzi que a mosca (isso me lembra que quando eu era criança teimei que queria assistir "a mosca" - acho que era esse o nome do filme- e tive pesadelos por noites e noites) iria atazanar a rai e fui salvá-la. Além de todo o heroísmo inerente à minha pessoa, há (sim, porque enquanto escrevo, ainda há) toooda aquela cafeína no meu organismo. Depois de não-sei-quantos minutos (mais que dois e menos que trinta, com certeza) de luta contra o elemento de milhares de lentes oculares, tive a brilhante idéia de acender só a luz da arandela ("falando 'arandela' às 04:49 da manhã? porra, mayra!", diriam rodrigo e jarleo) e a moca da mosca caiu na minha: pousou logo acima do aparato luminoso e eu, ser dotado de tele-encéfalo altamente desonvolvido e polegar opositor, enrolei uma revista de propaganda de produtos super úteis (de vasilhas empilháveis de plástico a macaquito de yoga) e de dois só golpes (queria ter dito que foi de um só, mas seria mentira. e eu omito, mas evito mentir...) acabei com a monstra. saiu tanta gosma cor-de-sangue dela, que me surpreendeu. acho que era uma mosca-do-jamelão (que? vai dizer que não existe uma mosca-do-jamelão?? ah, na minha casa existe, digo, existiu) e quase a deixei lá na parede, grudadinha, como aviso aos outros insetos que porventura invadam a minha casa, mas nem essa honra eu daria à infame mosca. foi jogada no lixo. E com uma vassoura, porque eu sou a mais alta daqui de casa, mas não sou assim que se diga "puxa vida, vejam como ela é alta!"

No meio da confusão, nos perguntamos onde estaria o homem da casa. tsc, tsc... tava dormindo, segundo o msn dele.


O fato é que nós, duas mocinhas indefesas, conseguimos nos livrar da mosca do mal e pudemos voltar aos nossos estudos. Eu escrevi esse texto em aproximadamente 27 minutos, o que me dá ainda algumas horas pra escrever todos os textos realmente importantes do dia. Alguém aí me ajuda com o fabuloso tema: deveriam ser proibidas crianças nos restaurantes após as 9 da manhã? Sim. Nove horas da manhã, que meu professor é louco.

Se alguém quiser me ajudar, dá um grito aí. Devo estar na ativa até às 2 da tarde.

Obrigada-de-nada-um-beijo.




A bichonaa. Clique na foto para vê-la em tamanho real.
E é claro que eu não sou exagerada. tá... a Joyce me chama de Mayra do Socorro, mas não tem nada a ver com mexicanismos e exageros.

7 comentários:

carmim disse...

1. vc fica impossível quando toma café com baunilha.

2. vc fz de tudo pra adiar seus afazeres acadêmicos.

3. vc me lembrou a pollyanna.

4. são 9h47 e as crianças estão proibidas de permanecerem nos restaurantes.

Cachorro de 3 pernas disse...

Acho que a pobre da mosca se fudeu na mão de uma dopada. Poderia rolar uma campanha: se for tomar café, não mate moscas... algo do tipo.

Joyce Pfrimer disse...

Inacreditável mayra do socorro!

Se uma mosca do jamelão estivesse na minha casa, eu ficaria apavorada!!! Eu tb assisti ao filme! (huhuhu)

Quem me dera ter essa coragem!

=*

rai disse...

gente, a mayra foi incrível...
confesso que não acreditei q ela fosse matar tal mosca na jornalada (apesar de já ter visto fazerem isso na martelada)pra mim a moca iria, depois de algumas tentativas frunstrantes, achar a parte da janela sem vidro, mas aprendi a não duvidar da mayra (nes)cafeinada

quase disse...

Quase salvadora da patria! \o/

Sabe q esse seu post me fez lembrar que aqui quase nao tem insetos?!

Que lugar interessante.. semana passada teve uma meia invasao de joanihhas.. mas elas sao fofas e inocentes.. e tudo q a gente ve pela rua, sao fofos esquilinhos carregando suas nozes! ^^

;*

mayra. disse...

gente, que gracinha!!
invasão de joaninhas deve fazer a gente se sentir num desenho animado.
(muda a cena: as joaninhas se transformam em monstros joanões. hahahaha)

jhoythinha disse...

gente! joaninhas!!! que lugar é esse?