.
.
.
.
.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

de mais paixões

meninos que eventualmente visitem essa bodega bloguística, atenção!
este post contém altas doses de coisas de mulherzinha!
(afinal eu sou uma, oras!)


querido diário, descobri uma coisa nova:
melissa.
melissa, o calçado, não a flor.

quando eu era criança até quis ter uma, no entanto minha mãe, sempre preocupada com a saúde dos nossos pezinhos, nunca comprou melissinha pra nenhuma das filhas. uma vez eu ganhei uma, daquele modelo clássico, sabe? esse aqui, ó:

melissa aranha

eu gostava dela, mas não foi surreal, absurdo, ou fora do comum. e, a bem da verdade, não gostei do pé suado que o plástico proporcionava (nunca, mesmo, desde criança, gostei de pé suado. já comentei que nasci com 72 anos de idade e da minha agonia absoluta com pé sujo, né? pois é), então nunca fui atrás de melissas. além do que, meu amor por all stars já tinha nascido, mesmo (ainda que ficasse adormecido por alguns - poucos - anos).

e depois de mais de 10 anos (quando se diz que se faz algo há mais de dez anos a coisa começa a parecer complicada. ter amigos há mais de dez anos - meudeus! eu tenho amizades que já duram 20 anos!! - ai. esqueci o resto da sentença) com all star dos mais variados modelos, eu me rendi a uma melissa. era tão bonitinha e eu já tinha entrado na onda de sapatilhas com as da converse.
veio a primeira melissa consciente da minha vida. comprei pensando: usar à noite, ou em dia mais frio, pra não transpirar tanto, blá, blá, blá. e escolhi a preta, porque é a cor que eu mais usaria, mesmo. vamos no básico (mentira. agora eu me recordo que eu super queria a vermelha, mas como calço o número mais difícil do planeta, não tinha mais). deixei a roxa e a azul-bic com certo pesar, mas sabendo que era o melhor pra todo mundo. nunca mais tirei a dita-cuja do pé. olha ela aí:
melissa +campana favela flocada (que nome bizarro, minha gente)

escasquetada com a vermelha, fui atrás, pra saber se era possível pedir na fábrica, ou coisa que o valha. não era. na real, eu nem me esmerei muito. acabei ganhando uma, de outro modelo (lindinho, por sinal), só que um número menor. e já tava bem satisfeita com ela - ia trocar por uma um número maior que o meu, que é o primeiro a sumir das prateleiras - quando a minha esmerada momõe me aparece com aquela primeira que eu quis. a vermelha! (já devo ter citado a fodisse da minha mãe, em outras ocasiões...) olha que coisinha mais linda:

melissa + campana favela escarlate opaca


hoje eu sou uma pessoa mais realizada, tenho 3 melissas (do mesmo modelo! deixa de estranhice, mayra!!) e esse parece ser o início de uma vida feliz. e meus converse vão ter um pouquinho de sossego.

melissa + campana favela fumê transparente (nunca tinha pensado na estranhice de "fumê")


e é assim, querido diário, que começa uma nova paixão (procurei um adjetivo, mas não achei, então vou usar um neologismo. pelo menos eu acho que é um.)calçadística. (achei: calçadista. mas o meu é muuito melhor!)

pra quem se interessar, o site da melissa.
tem coisas bacanas lá!


_e por hoje é só, pessoal. diga tchau, lilica!
_tchau, lilica!




3 comentários:

tiago araujo disse...

post pago! post pagô! post pago! post pagô! post pago! post pagô!




kkkkkkk

quase disse...

kkkkk
"querido diario" foi boa..

e nao eh q elas parecem com vc msmo??
Vixi eu q usei mta melissa na adolecencia..

beijo, quase!!

;*

jhoythinha disse...

eu adoro tb! usava mais quando criança, dps de "véia" tem uma só! e ela é tipo sapato de boneca de saltinho e é linda! Ah! vc sabe....vc ja viu! hehe!