.
.
.
.
.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

das fantasias


Tempos atrás eu descobri a Amy Louca Winehouse.
A moça já havia estourado, mas eu andava desligadinha e não tinha reparado nela.
Pois fui ouvir com atenção a tal de Rehab e achei legal. Ouvi I'm no Good e, a despeito de ser meio diferente do que eu costumo gostar, a música me atraiu. A próxima foi Valerie. Foi com essa que ela me ganhou.
Passei a não achar aquele cabelão tão esquisito e da maquiagem forçada eu já gostava, mesmo.

E ela tem aquela banda excelente, com uns backing vocals fabulosos, que cantam pra caramba, super simpáticos e cheios de suingue - pra contrastar com ela, que tem suingue de soldado austro-húngaro (qualquer semelhança comigo é mera coincidência. de verdade).

Pouco tempo depois que eu a ouvi, comecei a ver as notícias sobre os problemas com drogas, álcool e toda essa merda em que ela se enfiou. Isso me fez pensar com meus botões que essa danada tem a minha idade -tá, ela é um ano mais velha que eu - e estourou no mundo desse jeito. Se não tiver um psicológico bem estruturado, fode com tudo.
Fodeu mesmo.

De moçoila curvinhas simpáticas a criatuda de pele-e-osso, de shows incríveis (pelo menos no youtube e no meu dvd eles são bons) ao desagradável hábito de faltar às próprias apresentações (quando a dondoca morrer, o Tim Maia vai pessoalmente recebê-la, pra parabenizar pelos bolos que ela deu nos fãs).

Esses dias li que ela vem ao Brasil no ano que vem. Fico coçando de vontade de assistir a um show dela, mas e o risco de gastar meu dinheirinho à toa? Ela pode nem aparecer lá. Ou ainda aparecer e fazer um show capenga. E deve-se trabalhar com a possibilidade de morte.
Dammit!

Toda a discussão sobre saúde, respeito aos fãs e mais um monte de coisas poderia ser colocada em pauta, não fosse o fato de que quem está escrevendo sou eu e que a imagem da Amy, quando eu via umas fotos, foi que me deu vontade de escrever sobre ela.
Me ocorreu que pouco antes da festa à fantasia (a mais legal do planeta!) pessoa sabida e querida sugeriu pra mim:
"Por que você não se fantasia de Amy Winehouse? Você tem cabelo suficiente e a roupa é fácil. É só vestir um shortinho, uma regata branca, com o sutiã aparecendo e sapatilha baixinha no pés. Fácil e confortável.
Apesar de gostar dela e de todos os votos a favor, descartei a idéia, já que a minha intenção era ir de Margie Simpson. mas o mesmo cabelo que me ajudaria a ser Amy me atrapalhou a ser Margie. Subir esse cabelo todo, e ainda fazê-lo ficar azul, seria difícil. Além disso, teria que pintar a pele de amarelo... morte certa! (eu sou alérgica a cores. explicações depois.)
Amy me pareceu uma idéia boa. Aos 45 do segundo tempo (eu usando uma expressão futebolística? kkkkkk!! que inusitado!), fantasia decidida: Amy Winehouse!
Outro ponto positivo é que eu gosto do estilo dela. É charmosíssimo! (ficaria bem melhor com um pouco mais de carne entre a roupa e os ossos, mas... fazer o que?) Aqueles vestidinhos retrôs, os jeans com regata, as sapatilhas, as argolas e o resto.
Fiquei horas vendo fotos, reparando nas roupas (oh, que trabalho desagradável!), pensando nas minhas próprias roupas que poderiam ser usadas. No fim eu deixei o shortinho de lado e optei pela amy elegante, de vestidinho e saltão. Sandália retrô, vestido preto, fita de cetim preto fazendo laço na cintura, sutiã bonito aparecendo, uma versão mais modesta, porém fiel do cabelão e maquiagem carregada. Argolas, pulseira e rosa no cabelo - todas vermelhas. O mais estranho pra mim foram as unhas dos pés, que eu pintei de vermelho pela primeira vez na vida. Não tão ruim, mas ainda estranho.
A verdade é que eu gostei tanto da fantasia, que queria outra festa só pra ir de Amy outra vez. E eu subi no palco e dublei Rehab. Foi de supetão, então não ficou assiiim, aquela Brastemp. E a maior vantagem foi que nem podiam me reprimir. hohoho
(A propósito, amy antes das drogas e da anorexia. Uma coxa minha deve ter o mesmo peso que a mulher inteira.)


Escrevi isso vendo/ouvindo o show que tem aqui, ó. São 7 partes. Algumas delas estão dessincronizados (pelo menos aqui pra mim). Ah! As melhores dancinhas estão em monkey man.


mayra winehouse - sóbria! - antes da anorexia. i'm no good.

2 comentários:

carmim disse...

isso é que é uma boa congeminação, ein?

Joyce Pfrimer disse...

gosto mais dessa amy aí da foto!
e tenho dito!

=*