.
.
.
.
.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

dos dias em que você deveria ter ficado na cama


Você acorda com um música na cabeça - mas tudo bem, porque isso é praticamente rotina. Depois de uma hora acordado, começa a pensar em almoço - mas tudo bem, porque você acordou às 10:45 e, por pura preguiça, foi dormir meio com fome. Bate aquela vontade de comer qualquer coisa com molho branco. "Mas tudo bem, porque eu guardei uma porção de couve flor no freezer, tá fácil, prontinha pra gratinar", você pensa. Você se dirige à cozinha, abre o freezer e vê a couve-flor, com todo aquele molho branco cheio de queijo e, logo acima dela vê um bolo de carne. É, cardápio decidido.
Você coloca a carne no forno e sabe que vai levar mais de duas horas pra começar a comer - mas tudo bem, porque você pega fortuitamente um pãozinho de batata e coloca requeijão nele. Agora já dá pra agüentar.
Você lava umas batatas, corta em pedaços desiguais, coloca um monte de temperos na água, põe tudo pra cozinhar, bota a couve-flor no forno e volta a escrever a resposta pra aquele email. Com um timing que nem você entende, vai olhar as batatas e - olha que maravilha! - estão prontas. Você as escorre, coloca para esfriar e vai lavar a louça que está na pia. Se machuca duas vezes lavando uma... peneira!
(Ok! Nota mental: lavar peneira machuca)

Quando está tudo quase pronto, rala cenoura e corta um tomate.
Você vai tirar as coisas do forno, nota que tem um pouco de água por cima do molho da couve-flor - mas tudo bem, porque estava congelado e é assim mesmo - e vai jogar na pia. Você se esquece que aquela travessinha que ficou mais de meia hora no forno está quente e pimba! Encosta seu indicadorzinho pra segurar o vidro. Você deixa cair, dentro da pia que você acabou de limpar, a travessa. Ela se quebra e fode com seu almoço.

Qualquer pessoa normal ficaria chateada, desanimada, entristecida... mas não o Joseph Climber que existe em você!
Você pega uma porção de brócolis no freezer, prepara mais molho (nesse espaço de tempo duas panelas vão pro chão, o mixer endoida e joga leite na cozinha toda, o queijo cai na bancada, assim como o molho cai no fogão e você, misteriosamente, machuca de novo a mão na peneira que já estava limpa!) e gratina os brócolis.

No fim você come só um pouquinho, porque não agüenta mais ver comida na sua frente.

E quando você está terminando o post no blog, vai pegar um pé-de-moleque pra saciar seu repentino desejo por glicose e ele cai no chão - o pé-de-moleque cai, não o desejo.

.
.
.
Aaah, Murphy, se eu te pego!
(censurei todos os palavrões que você diria, se passasse por isso num dia de mal humor.)




8 comentários:

nathie disse...

O Murphy e a sua lei... não poupa ninguém e não poupa esforços.

Coitada, Mayra. Desejo que seus machucados sarem logo, ao menos.

talita disse...

ainda bem que a Pollyanna não estava do seu lado nessa manhã...ninguém merece....

carmim disse...

ai, que dó...

Cachorro de 3 pernas disse...

AHAHAHAHAH por que vc fala como se isso acontecesse comigo? Eu ligo pro China In Box, eu como em louça de plástico e nunca "não consigo mais olhar pra comida". Só passarinhos me enganam... :P

Cachorro de 3 pernas disse...

Esqueci de terminar: AhAhah se fudeu! :P

Joyce Pfrimer disse...

As peneiras são perigosas mesmo! sempre achei!
Certeza que foi o murphy que inventou essa engenhoca!

solin disse...

o que engorda mais: pé-de-moleque do chão ou um pouquinho dessa outra comida com molho branco?

fiquei na duvida.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

HAHAHAHAHAHA
Coitadaaa!!!!!

Comecei a ler teu blog ontem e já to aqui

=)