.
.
.
.
.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

das aleatoriedades da vida (III)


Engraçado como os sentimento se seguem.
A tranquilidade dando lugar à inquietação, por vezes substituída pela angústia. Angústia que vem sabe-se lá de onde, toma conta do corpo, dá dor de cabeça e se instala no estômago, onde antes houve borboletas.

Cabeça de gente é uma coisa muito estranha. Cabeça de mulher é ainda mais estranha. Acho que uma das razões para o meu heterossexualismo completo (e indubitável, segundo fontes confiáveis) é justamente a minha falta de paciência com o bicho mulher. Não conseguiria suportar outra TPM além da minha, outro roll de cosméticos ocupando espaço, outro tudo que eu tenho de mais feminino e mais chato. Na verdade, tenho razões para crer que meu grande problema é com as frescuras - as quais me permeiam, não me engano -, a necessidade de ter os pensamentos adivinhados, a carência que se esconde em piadinhas infames, risadas histéricas e receitas malucas inventadas às 3 da manhã, com o Ipod lembrando no modo aleatório que a maioria das músicas de que se gosta é bonita justamente por ser triste. E a necessidade de isolamento. Eu li uma vez, escrito por mãos que eu saberia reconhecer num vídeo da MTV entre 40 mil outras, a expressão solidão opcional. Até aquele momento nunca tinha pensado em solidão como algo opcional, sempre como algo imposto por doença ou falta de carisma. Hoje é uma das coisas que mais aprecio na vida: os momentos que passo comigo mesma. As críticas aparecem e, na boa, me lixo pra elas. Acho bonito, acho bom, acho justo e, juro, chega a ser divertido não ter meu espaço invadido por terceiros, quartos e quintos.


A sensação é de liberdade.






Man Of The Hour, Pearl Jam (Perdoem a baixa qualidade de áudio e vídeo, mas essa é a versão mais íntima dessa música. Pra mim.)


Bah! Vou parar de me explicar.

5 comentários:

Débora. disse...

Engraçado como, as vezes, nos vemos descritos por palavras de outros...rs

Cachorro de 3 pernas disse...

O que a Débora escreveu aí em cima (ou embaixo, sei lá como vai ficar isso) x2 - algumas frescuras.

tiago araujo disse...

solidão opcional. nao tinha pensado nisso.

mudei minha estratégia!!

agora se nada der certo, em vez de virar hippie, opto pela solidão.

pode ser?

( ;

Tati disse...

Engraçado como, as vezes, nos vemos descritos por palavras de outros... [2]

É, eu nunca tinha ouvido esse termo, mas "solidão opcional" é mesmo a minha mais recente e acertada opção. É ruim que ninguém entende que a gente pode ser feliz sozinho, sem namorado e talecoisa. Mas acho que dá sim. Bom, pelo menos eu tenho me divertido bastante! :o)

Lindo post, may.

;o***

Débora. disse...

Cara não sabia que havia no mundo pessoas com pensamentos tão únicos! rs!