.
.
.
.
.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

dos móveis




Quando pisou novamente em casa, a sensação era de que todos os móveis estavam ligeiramente afastados da posição original. Se antes caminhava pelos cômodos de olhos fechados sem tocar nada que não quisesse, agora encontrava-se com os móveis a cada poucos passos e se perguntava:
mudaram os móveis, ou mudei eu?

As coisas mudam.
Algumas, aos poucos, como móveis que têm seu lugar alterado em centímetros. Às vezes esses movimentos são mais significativas que mudanças de casa, ou mesmo de cidade.
Na maior parte do tempo é a mobília, dançando, que altera o rumo da vida da gente.

5 comentários:

Joyce Pfrimer disse...

Tb tenho essa sensação o tempo todo com as coisas do meu quarto, elas saltam do guarda-roupa e ficam espalhadas pelo quarto! é por isso q meu quarto tá sempre uma bagunça!

=P

Tati disse...

Ou então é a casa que "estrala" na calada da noite, quando a gente tá deitada, sem conseguir domir. Já passou por isso? É tão aflitivo!

;o**

Velvet Lovett disse...

haha...

"Na maior parte do tempo é a mobília, dançando, que altera o rumo da vida da gente."

parece ateh que tu passou uma temporada aqui em casa...

rsrs

e eu pergunto pra mim direto

mudaram os móveis ou fui eu quem mudou?

bjin :)

seu gordo disse...

tem que ter mudanças sempre a inquietude e do homem beijo desse gordo atrevido e falastrao

Manoel Leonam disse...

Passei aqui só por curiosidade, assim, depois de ler, apaga esse comentário, se por acaso não o considerar apropriado. Só vou deixá-lo aqui porque não dá pra evitar. A primeira parte desse texto mínimo é uma das coisas mais inspiradas eu já li. (A segunda quase mudou minha impressão inicial.(Como se minha opinião tivesse alguma importância...)).
De qualquer forma, deixe eu escrever de novo: esse primeiro parágrafo vale pelo post inteiro. Isso é poesia de verdade menina. Eu, que sou um cara que de poético não tenho quase nada, me emocionei.