.
.
.
.
.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

do lobo



Que é que vai virar esse País em 2016, minha gente? Olimpíadas no Rio? Perdoem meu ceticismo, mas não sei se funciona, não...

E do mesmo jeito, a Copa.
Quero nem ver a bagunça monstruosa. Será que o trem-bala Goiânia-Brasília finalmente sai?
Seria interessante. Aliás, se trouxessem o metrô até a Asa Norte já seria grandes coisas e eu evitaria constrangimentos como, por exemplo ser mandada para o banco da frente [aqueles antes da catraca do ônibus, tá ligado?] pelo cobrador, porque ele não tem troco pra minha notinha de 20 reals. Eu apresentei minha cédula, ele olhou com cara de reprovação e simplesmente apontou o indicador para o banco da vergonha, onde tive que me sentar até meu destino final (e era o mesmo cobrador que viu minha performance como bailarina). Ou, constrangimento ainda pior, o de ver o motorista fazendo cara de lobo mau depois que minha blusa subiu na correria e a tatuagem, que geralmente se esconde, apareceu.


Eu sou o Lobo Mau, Lobo Mau, Lobo Mau... ♫


E depois que entrei no ônibus - lembra da história do Gama, que eu não sabia mais onde estava? Então... mesma linha - reparei que não havia cobrador. E não havia vivalma além de mim e do motora assustador. Cogitei descer, mas eu sou forte e esperei um pouco, pensando no que fazer, enquanto fingia separar o valor certo em moedas. O ônibus parou, o cobrador subiu e o motora olhou pra mim com aquela cara de novo. Resolvi ir lá pra trás logo. O resto do caminho correu normal, na medida em que é normal tudo o que acontece num ônibus.


E a verdade é que esses caminhos me fazem pensar demais. Como não consigo ler ou escrever em movimento - culpa do meu sistema nervoso central, que acha que náusea é sede e me traz uma a cada 5 dias -, fico só na música e nas congeminações.
Essa semana tive tempo pra me irritar, chatear e preocupar bastante com coisas que estão absolutamente fora do meu alcance.
"Você não tem que resolver isso", "Páaara de tentar resolver os problemas do mundo" e "Manda todo mundo a pqp" foram coisas que ouvi.
Bora ver se consigo seguir os conselhos.



_Não quer entrar pra tomar uma xícara de incômodo?
_Mas não seria muito café?



11 comentários:

Joyce Pfrimer disse...

Dona Florinda!!!

=D

Carina disse...

'culpa do meu sistema nervoso central, que acha que náusea é sede e me traz uma a cada 5 dias."


kkk definitivamente engraçado...

Otimo final de semana

Orelha ® disse...

gosto muito de mostrar uma nota de 50 e dizer que não tenho trocado dai normalmente "passeio" de graça nos onibus.

¬¬' okey sou desonesto

Solin disse...

vc sabia q se o cobrador não tiver troco, ele deve te deixar passarsem pagar? é, eu li isso eqto esperava um trocão.

Sobre os 'motora', a maioria tem cara de lobo mal. A exceção: aqueles com cara de marido da vovozinha.

"E a verdade é que esses caminhos me fazem pensar demais. Como não consigo ler ou escrever em movimento"
É por isso que eu adoraria ter uma máquina coletora de pensamentos. Assim que um candidato apost estivesse dando sopa, era só ligar a maquinazinha e ela fazia a sua parte.
hehe

Solin disse...

sobre o post anterior: eu até que gosto dos trajetos quando se tratando de ônibus, pois sempre coisas toscas, engraçadas, legais acontecem, como pensar, refletir e refletir.Mas não refletir de forma forçada, mas com naturalidade, paz.
Talvez isso se deva ao fato de eu não precisar pegar ônibus constantemente (só qdo vou à praia e seus bairros, qdo já é tarde p uma mocinha vagar pelas ruas de um bairro central, etc.)

Uma vez eu estava atrasada p aula. Cheguei na parada apressada, esperei um pouco e então lá vem meu Ônibus. Entrei. Depois de um certo tempo, notei que o seu trajeto havia mudado, e detalhe: estava indo p o outro extremo da cidade, ou seja: a praia. Eu só estava com a passagem de ida. Resultado é que fui Á PÉ p casa.
A pressa me fez ver a numeração do meu ônibus, qdo era outro.

Hoje em dia, além de conferir umas 3x se é o certo, ainda perguntoà um passageiro, ao cobrador ou motorista. rs

Enfim, acontece com todo mundo né..

=*

Tati disse...

É fato: profissionais automotivos sempre tem essa cara de lobo mau. Deve ser exigência do sindicato. Sei lá! ^_^

Toni Barros disse...

Sobre Candy:
Pensei que fosse essa aqui que é uma das minhas preferidas de todos os tempos.

=*

tiago araujo disse...

você deu sorte do motorista não te convidar pra um conhaque lá no trailer do bigode, no ponto final.


kkkkkk


;)



ps.: que tatuagem?

Nathie disse...

haha, adoro que vc tem diversas histórias, de engraçadas a tensas, nos seus percursos de ônibus. Supertensa essa!

Quanto as coisas fora do alcance... let it be. Ouvi essa semana algo como: 'não é o máximo que vc pode fazr por isso, mas com certeza o melhor a ser feito'.

;*
Fique bem!

Pedro Martins disse...

eu tenho o mesmo problema com leitura em movimento. Credito este fato a um evento curioso passado a 7 anos atras. Estava eu, feliz e saltitante, na França quando um mosquito entrou no meu ouvido. A desgraça zumbizante não saia nem debaixo d'agua (literalmente). Depois de varios metodos caseiros de desalojamento auricular decidi apelar e pus um aspirador de po na orelha. O mosquito saiu, no entanto, nunca mais fui o mesmo em rodovias.

Anônimo disse...

Спасибо понравилось !