.
.
.
.
.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

da claptomania que me acomete



Uma das piadinhas ruins internas da minha casa é dizer que somos todas claptomaníacas. Explico: em algum lugar do passado, quando o primeiro aparelho de DVD adentrou esta casa, mamãe tratou de comprar um disco de nome Music for Montserrat, sendo Montserrat a ilha, e não a cantora [cujo sobrenome, a propósito, sempre me ocorre como Cabaré. Não é isso, mas e daí?]. O show traz umas pessoas de certo peso na música mundial. Tiops Carl Perkins [não sabe quem é? Ele já era lenda em 1713, com seus sapatos de camurça azul], Sir Elton John, Sting, o amigo da [do?] Jude [oi, Marina!], Mark Knopfler e mais umas pessoas. Mas quem me interessa de verdade, aqui, é o Eric Clapton. Eu já conhecia algumas coisas dele sabia, por ouvir falar, que o bicho era sensacional, e, a despeito disso, não tinha conhecimento pessoal do homem [dá pra entender, né?]. Nessa apresentação ele toca músicas de que ninguém nunca ouviu falar, como Layla, sabe? Em algum momento, no meio das trocentas vezes em que assisti a esse show foi que me tornei Claptomaníaca. =P [Ok, me desculpem. Infâmia mode: off.]

Daí minha santa mãezinha adquiriu outros shows dele e, convenhamos, o homem é deus, mesmo. As apresentações ao vivo são impecáveis, a banda de acompanhamento [posso chamar assim?] é de assustar e as mocinhas fazendo backing vocal são de estirpe - uma delas, a Katie Kissoon, eu vi no show do Roger Waters, cantando bagarái.

He is god.


Esquisita e desocupada curiosa que sou, fui pesquisar vida, obra, bla bla blá wiskas sachê, e descobri que antes de formar o Cream, o Clapton foi integrante do The Yardbirds, banda que posteriormente Jimmy Page adotou (?) e transformou em Led Zeppelin. Agradecimentos ao tio Eric por ter possibilitado a criação da minha primeira banda preferida [e daí que foi indireto? nem ligo]. Aí ele populariza o reggae - não  que eu goste, mas se vc é fã do Bob Marley, ajoelha aí e agradece. E fica brincando entre o blues e o rock. E toca com o BB King, cara de vovô bacana e com o Buddy Guy , cara de pintor de parede e dono da guitarra mais cuti-cuti na face da terra. Aí ele tem uma patotinha, composta por Phil Collins, Mark Knopfler e Ray Cooper. Tô sendo injusta e largando o Elton John, o Nathan East [baixista mais risonho de que se tem notícia num raio de 7 galáxias. Que? Não, não fico hiperbólica quando falo dele, não. Tsc, tsc].

Daí o homem perde um filho. A criança despenca da janela e ele escreve uma música com letra simples, pra que geral entenda. Taí Tears in Heaven, pra fazer todo mundo morrer de chorar pelo menos uma vez na vida. E nem é pelo filho dele. No meio das [cof, cof!] pesquisas pra esse post, decobri que Circus Left Town também é pro guri. Minha mãe sempre fala que essas mortes de parentes ou amigos de compositores são boas pro público. Não, ela não é má pessoa. E eu acho uma ideia bem certa, apesar de parecer bem errada.

Vou deixar o resto com as músicas, porque, né? Falam mais e tal.
(Ah, sim, sejam gentis e ouçam pelo menos algumas das canções. E o trabalho pra botar tanto link num post? Pela atenção, grata. =B)

Tic Tock, no Tributo a Steve Ray Vaughan, com uma porrada de batatas gente [atenção para o topete carregado de dignidade do Jimmie Vaughan];
Tearing Us Apart, com a Tina Turner e a patotinha do barulho;
Broken Hearted, uma das coisas mais lindas que ele já escreveu. Aqui a segunda versão, com o John Mayer, que anda todo saidinho com essa galera mais antiga;
Crossroads e Don't Think Twice, com o fabuloso Bob Dylan fazendo cara de mau e o Nathan rindo atrás dele;
Have You Ever Loved a Woman, parte I e parte II. Eu rrrecomeindo.


8 comentários:

Cachorro de 3 pernas disse...

Pq vc não falou do Cream? Do Cream!

Cris disse...

hahaha já tinha lido o post, mas devido ao mimimi, vou comentar.
Não sou muito claptomaníaca, mas gosto dele cantando "Change the World"

Desenganada disse...

Adooooro o Clapton!

Sou vidrada por "Running on faith", do (maravilhoso) álbum Unplugged MTV dele.

Bom gosto o seu. =)

Bowler Hat Strange Guy disse...

Baby, eu tenho um box com 5 LPs do titio Eric. Se soubesse disso antes, desligava çapoha de aparato téquinolójiko do laptop e a gente se matava com as balochas!
^.^
Não se esqueça de me lembrar (ADORO juntar dois verbos tão "amiguinhos" numa mesma sentença! hahahahahahanãoseiadiferençaentrefraseoraçãoesentençasoubonitohahahaha) na próxima vez que vier pra cá, óquêi?

Bêgos no Ç2, rânei!
;*****

p.s.: já ouviu "Anyone For Tennis"? Gostosinha, meio folk. Vou procurar e te passo o link pelo Twitter. ;)

Bowler Hat Strange Guy disse...

p.p.s.: o box é antológico, reúne as mais populares dele no Cream, no Yardbirds, solo e blá blá blá Whiskas saché. Hahahaha! E são 6 (SEIS) LPs, e não 5. Mió ainda! ^.^
Bêgos again!
;***

videoblogdofrancis disse...

FOI ELE QUE POPULARIZOU O REGGAE!?
FILHADAPUTA!!!!
tá bom, tá bom, eu perdôo, mas só poque o cara é FODA mesmo!

...claptomania... (tudum-pish)

K. disse...

clapton é foda e com bb king ainda.. *-*

adorei o blog, com certeza irei acompanhar! Sou nova por aqui e o meu ainda está em 'desenvolvimento', mas dá uma olhada lá depois ;}
www.improvavelesubversivo.blogspot.com

tiago araujo disse...

tem certeza que não é montserrat cabaré o nome dela?

hahahahaha

sempre falei.

haha

sssmaaaaack ;D