.
.
.
.
.

terça-feira, 1 de março de 2011

das partes



Como eu disse na minha breve descrição lá no 3meia5, eu tenho blog, Twitter e Tumblr. Isso além de Last.fm, Linkedin, Facebook, Orkut [sim, o meu ainda existe. E você que ainda dorme com aquele pano velho de quando você era bebê? ok, peguei pesado. Desculpa. Pára de chorar, vai.. Não, não pega a porra do paninho, pô!], Flickr e devo ter algum outro que tenha me fugido à memória... O fato é que é muita rede social e dificilmente eu dou atenção a todas elas ao mesmo tempo. Daí você pergunta: cê tá falando isso pra gente ver que você é virtualmente sociável?" e eu te digo que só cheguei nesse assunto ao constatar uma coisa, já muito vista no Tumblr, mas como eu sou meio bocó, só prestei atenção agora: as pessoas [eu...] dividem partes da vida ou da personalidade e apresentam facetas determinadas em cada rede [ambiente?] social. No meu caso específico, quanto menos íntimos os contatos daquela rede, mais chances de eu expressar abertamente um sentimento, sem a cobertura de metáforas. Porque é assim que eu funciono: não digo as coisas sem me distanciar delas, se eu imaginar que alguém próximo o suficiente para se preocupar, ou mesmo entender [olha que absurdo] o que acontece, está lendo. E não é algo que eu force. Quando reparo, já inventei nomes, escondi sentimentos e estou fazendoo piadas invariavelmente ruins. Personalidade-sabonete, já dizia, uma década atrás, a terapeuta.
É evidente que uma pessoa que me conheça o suficiente, a ponto de saber quando falo de mim e quando é texto fictício, saberá como eu me sinto simplesmente pela música do início do post, ou pelas letras escondidas no final de alguns textos, mas isso não vem ao caso. Eu dizia que me divido entre as redes sociais. 
E, se vistas separadamente, cada coisa parece pertencer a uma pessoa diferente, quando se junta tudo dá pra perceber que se encaixam e formam uma figura só. Com a minha cara.
Não vou contar aqui onde eu ponho cada peça minha pra não estragar a surpres-- Ppfffffff!





Onde você coloca cada parte de si?

6 comentários:

Francis Leech disse...

Timidez em redes sociais é um problema que eu compartilho com você. Como é bom esbravejar irresponsavelmente em terras virtuais desconhecidas! Hoje eu sempre meço minha sinceridade pela estimativa de unfollows.

Ericka disse...

Sempre penso o quanto me exponho nas redes sociais, é terrível. Seria bom se eu fosse mais contida, falasse nada, mas quando vejo, já tá lá, sentimentos, pensamentos, tudo evidenciado em textos, imagens e afins. E tudo recortado, como vc disse. E eu nem sei se ao juntar tudo fazem uma imagem de mim (ou daquilo que eu pareço ser.)

Um bjão!

Sacolé de Limão disse...

Bom, né. Eu com meu usário-anônimo-pra-poder-falar-coisas-pessoais que tem twitter e blog nem preciso falar muito sobre isso :P

Alana Ávila disse...

é mais fácil se abrir com estranhos, vide nego procurar psicologo. :}
CONTO COM ESSA GALERA TODA.
me ama brasil!
:D

Anafla disse...

É engraçado isso, né?

No começo (e ainda um pouco hoje) queria que o meu blog fosse desconhecido, não queria que ngm que eu conhecesse soubesse da existência dele por que daí ficaria mais aberta para ficar de mimimi maldizendo todos os filhos da puta que brincassem com a minha cara (como fiz até determinado ponto, sendo super madura como só eu sei ser.. haha). acabou que um ex (EX, Pragas)descobriu o blog...aí já era.

Twitter, facebook...impossível. sou o que sou na frente de todo mundo e todo dia...mas sempre com aquelas eventuais máscaras para evitar conflitos desnecessários com gente tosca.

Sou livre mesmo no tumblr. com nome totalmente diferente do que costumo usar em todos os lugares que tenho conta. e acho bom.

É bom que as pessoas nos conheçam, mas isso assusta, ainda mais na internet.

acho que bom mesmo é ser o que você é com todo mundo no twitter, pq todo mundo ali te conhece...mas que você tenha um nomezinho de usuário que ngm saiba, só para poder aliviar a vontade de sair compartilhando sentimentos aleatórios sem que as pessoas te olhem torto depois por isso.(:

(comentário gigante.haha, sorry. devo ter viajado um pouco, mas né?)

:***

Livia Holanda disse...

Puxa... eu diria q essa coisa de ganhar dinheiro com internet me leva a redes muito distintas mais pra saber o que oferecer pra galera do q pra ser "alguém virtual" for real. Por isso também que sou tão paranóica com intenção de cliques, de comentários, de exposição, e faço questão de entrar em discussões que botam em dúvida a existência dos seres na real no mundo virtual. Acho que escreveria uma tese sobre isso...

Em síntese, hoje é tudo tão nosso mundo, q não tem como vc separar o q é a pessoa real do que o que ela se mostra virtualmente... E se a gente já é fragmentado no que é físico e concreto na nossa vida, quem vai dizer que não rola um monte de eus distribuídos na rede?

Tô louca, eu sei. Mas acho que te entendo. ;)

"There is no one can understand me truly... you don´t hace time to sleep for to know others"