.
.
.
.
.

terça-feira, 7 de junho de 2011

das confissões


_Acontece que eu não sou boneca, não sou de plástico. Eu tenho estrias, falo palavrão, reclamo de coisas insignificantes, me emociono com pouco, morro de prazer quando como uma coisa de que gosto muito, minto quando quero ficar sozinha, tenho ciúme dos meus amigos e medo de que eles enjoem de mim, me apaixono por coisas mínimas, um belo dia redescubro pessoas e, às vezes, me enjoo delas; não tenho afinação, nem mira; sou desastrada, amo algumas pessoas de uma forma quase dolorida e me esqueço de reparar em outras; preciso de atenção, carinho e piada. E de espaço.
_E por que você tá me dizendo essas coisas?
_Tô despejando isso agora pra você ter tempo de correr.








*Obrigada, Ana Flávia, pela ideia!
;**