.
.
.
.
.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

de muitos fragmentos

Ando com inspirações repentinas que se acabam em um parágrafo. Não por falta de assunto, mas por medo de como tratá-lo. Ficção e nem tanto.


Às vezes a gente deixa de ver as pessoas com os olhos que elas sempre mereceram da gente. E acaba se acostumando com uma visão meio turva dessas pessoas. De repente, ela chega e te limpa os olhos. E mostra que, mesmo havendo ciscos e um ventinho que faz o olho arder, e que talvez até traga um cisco, a pessoa tá ali como sempre foi. Ou ainda melhor, com algumas mudanças, porque ficar parado nunca foi sinal de inteligência.


.
.
.


_Mas seu braço vai ficar dormente, se eu mantiver a cabeça aqui.
_Vai. Aí eu tiro.
_E se eu estiver dormindo?
_Enquanto você estiver assim, não dorme. Você sempre dorme virada para o outro lado.

Ela abaixou um pouquinho a cabeça, pra esconder o sorriso de satisfação. Ele ainda a sabia.


.
.
.


Eles se conhecem há muito, muito tempo. Há pessoas que nunca viram um sem o outro nem o outro sem o um. Mas se estranharam por um tempo. Ela disse que era uma tristeza maior que ela, ou quis dizer, mas não falou. O fato é que sentiu.


.
.
.


"Mais do que você pra mim, eu quero você bem." Foi a frase de despedida que ele pensou e não conseguiu falar. Morrendo de medo de nem ter oportunidade de fazê-lo. Pelo menos deixara um bilhetinho na gaveta de camisetas dela. Alguma coisa, de tantas engasgadas, ela saberia.



True love waits, do Radiohead.
(Não tem o melhor áudio, nem a melhor imagem, mas foi a primeira vez que a banda executou a música em público.)
(E eu gosto de primeiras vezes.)

Aqui com imagem e som melhores. E completa.
Porque qualidade é importante também.



Mimimi mode trying to turn itself off.

6 comentários:

Tati disse...

São fragmentos que se completam e tornam o texto bonito como um todo. E você dizendo que não sabe terminar os posts... Tsc tsc tsc.... :o)

;o****

Joyce Pfrimer disse...

isso me fez lembrar do desenho q eu te prometi na camiseta! Deixa a camiseta comigo...

e isso me faz lembrar de como eu me sinto às vezes, ou deveria sentir, ou tenho saudade de sentir, sei lá...me faz lembrar que eu ando sentindo pouco...acho q foi a música!Eu preciso escutar Radiohead de janelas trancadas, se a altura do andar do prédio for significativa...ainda bem q eu tô no segundo andar!

beijo mayrocas!

tiago araujo disse...

ai que bonito isso tudo!! (;

faz bem demais ler coisas assim.

suspiro.

solin disse...

ahn
tenho muitas inspirações, todas bem fragmentadas.
Na TPM é o tempo todo, feito pisca-pisca.

e se eu não corro p anotar, elas correm de mim.
é louco.

o fragmento um é tão delicado...
^^

pensei a tarde toda nos fragmentos rs

R.R. disse...

*as vezes a gente vê o que a gente quer ver, e não o que realmente é.

*satisfação por ver que ele gosta tanto que sabe de detalhes...

*nem sempre da pra fala o que a gnt sente. se a gnt fosse sempre 100% sincero, as pessoas nunca gostariam da gente...

*bilhetes as vezes são inícios de cartas, textos ou até de parágrafos...não podem acabar com uma história.

;*

já te disse q vc é boa nisso neh?
=*

Bowler Hat Strange Guy disse...

Covardia demais não tecer um comentário e roubar o do Tiago Araujo?

Porque ele disse pouco, mas disse tudo.

O suspiro eu reproduzo: *suspiro*
Necessário.

:***