.
.
.
.
.

domingo, 25 de outubro de 2009

do ego alheio


Na revigorante tarefa de faxinar a casa numa linda madrugada de sábado, andei refletindo sobre uma situação que me fez rir com aah... bem... deboche e uma sensação de aimeudeuscomopodesertãoridículoassim. Conhece?


Não posso dar detalhes, que magoar a geral não é meu esporte favorito, apesar de ter mostrado no momento do acontecido que achei graça e ridículo na atitude de certas gentes. E porque a situação não ocorreu comigo.
Mas, para ilustrar pensem na seguinte situação:
Você conhece uma pessoa do sexo oposto há alguns anos. Quase uma década, pra ser um pouquinho mais precisa. Um belo dia, noite, madrugada ou manhã essa pessoa diz, não sem certa razão que uma terceira pessoa, de sexo oposto ao seu e igual ao dela olhou-a com ciúmes num determinado evento. E chama essa pessoa de "seu namorado" (se você for mulher. Se for homem, a pessoa diz "sua namorada", porque essa situação específica é um suposto triângulo heterossexual). Você explica calmamente que a terceira pessoa não é seu namorado e diz que pode ter acontecido, sim, mas que provavelmente foi só impressão.

Tempos depois essa pessoa volta com a conversa de que o seu namorado se portou feito ogro ciumento e olhou feio pra ele de novo. Mas diz isso com um tom de arrependimento, de quem se sente mal por causar todo esse constrangimento e embaraço cada vez que aparece.

Mais uma pausa e de novo ele vem com essa conversa. Tão bem arquitetada, que o referido seu namorado nem é a mesma pessoa. E é um amigo-irmão que ainda não sabe se terminou com a namorada e te chamou pra beber, porque ô vô bebê pra esquecer meus pobrema.
É nesse momento em que você se toca e a pergunta pipoca na frente dos seus olhos, em letras de neón vermelho:

O quão grande pode ser o ego de alguém?

É fato que as manifestações (quaisquer manifestações) do ego de outrem costumam incomodar nossos calmos e pacíficos (?) eguinhos. Maaas... veja bem: Esse elemento, que até onde sei é uma boa pessoa, deduz ser tão irresistível que até o amigo, por quem você não tem interesse algum [e a recíproca é verdadeira] derrepentemente [oi, mãe! =D] vira um cara com sanguenozói, porque a maior beldade da região apareceu e conversou 5 minutos com você. E ainda vem com a conversinha furada do tipo "Ah, então ele gosta de você. Eu senti!". Faça-me o favor!

A enormidade do ego de algumas pessoas assusta. Especialmente quando vem disfarçada de bondade, ou pior, humildade. O nome disso é hipocrisia, filhão! E cansa. Cansa a beleza da gente. De quem passa por uma ceninha dessas e de quem vê, de perto ou longe, o nariz de palhaço que cidadão ganha imediatamente após falar uma dessas.




Então, na aula de hoje, aprendemos que cada um deve se manter no seu lugarzinho, para evitar desconforto geral e post no blog alheio.
Ou não. [Caetano mode: on]

4 comentários:

Tati disse...

ahueaheuaeh... É cada uma que a gente tem que aguentar. Tem que fazer a phyna e fingir que é spam! u_u

Cachorro de 3 pernas disse...

huhhu "bebe pra esquecer os pobremas" ou faz uma dupla sertaneja, não esqueça. Mas aê, vc ficou mais peituda e gostosa depois desse ocorrido, vai dizer? :p

Joyce Pfrimer disse...

esse problema de elefantíase no ego é grave!

eu ando por aqui mayrocas! to sumida, pq desde q parei de trabalhar, eu fiquei com uma preguicinha de internet! to tentando colocar as ideias no lugar....
Confesso q ficar sem trabalhar me dá uma certa culpa, parece q se eu fico na internet direto assino embaixo que sou vagal! E to colocando, crochê, filmes, livros em dia! ate fazendo desenhos na parede do escritório eu tô!

ps: só vi sua msg ontem, meu cel ta com o visor estragado, tive q pegar o cel alheio pra colocar o meu chip!

se pá, passo uns dias de vagal ai em bsb!

=*

videoblogdofrancis disse...

Tentar simular sentimentos positivos pra se aproximar da amiga gostosona é mais manjado que o elenco da praça é nossa.

Uma boa estratégia seria tentar simular um interesse em especial diferente do interesse real.

"ou, cara, fiquei sabendo que sua amiga lá tem sangue B+, noooossa, cara, eu preciso demais de uma doadora dessas pra minha avó que tá no hospital"

quer dizer...

ah, eu tenho certeza que existe um exemplo melhor, na minha cabeça faz sentido! haiusehiuse