.
.
.
.
.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

das carteiras perdidas




No domingo, 02.01.11: Encontrei na rodoviária de Anápolis, uma carteira, que só apanhei no chão porque pensei ser do meu acompanhante [UI!]. Não era a dele, eu não sabia o que fazer, a carona já estava estacionada, levei a carteira comigo. Descobriria um telefone para entregá-la ao dono.
 Pra descobrir o POPRIETÁRIO da tal carteira, comecei a fuçar e descobri que ele:
  1. Tem RG de Minas Gerais;
  2. Cursou/cursa Ciências Contábeis na UNIP de São José do Rio Preto;
  3. Tem o cartão de uma gerente de banco de Olímpia-SP;
  4. Assistiu a Megamente e Tron em um cinema de Anápolis;
  5. Viajou de José Bonifácio até Goiânia e na passagem estava incluído  pedágio de R$1,21;
  6. Fez 3 jogos, com números muito parecidos, na Mega Sena da virada;
  7. Carrega a foto de uma moça meio escondida na parte secreta da carteira;
  8. Adquiriu com antecedência um ingresso para o Pagode Ao Acaso, que acontecerá [aconteceu, já que demorei a publicar o post] no Grêmio do Bazar;
  9. Tem conta em pelo menos dois bancos; 
  10. Provavelmente estaria puto, por ter perdido quase 500 reais;
  11. Deve ter essa carteira há séculos, porque ela tá velha, esfolada e um pouco mal-cheirosa.
Por enquanto isso é o que eu  pude inferir pela olhadinha [tirei tudo e analisei cada pedaço de papel, beijos] que dei. Ele é um cidadão do País e gosta de pagode.

Segunda feira, 03.01.11: Tentei ligar para a agência bancária dele, em São Paulo, nada. Tentei ligar para o banco aqui em Anápolis, e nada. Fui à delegacia procurar alguma orientação e o expediente já havia terminado. Minha mãe ficou absolutamente horrorizada quando eu disse que, se não encontrasse o cara em uma semana, levaria a carteira para a polícia, mas ficaria com o dinheiro - porque, convenhamos: quem acredita que a grana seria entregue pro cara, anyway? O prazo de uma semana deve-se à informação que recebi de um adevogado, dando conta que se eu ficasse mais de 15 dias com as coisas do rapaz, incorreria em crime. Não confirmei, mas também não tinha o menor interesse em manter documento e cartões do bróder comigo, ele deveria estar maluco a essa altura. 

Terça feira, 04.01.11 Meu celular toca de manhã, mas eu estava dopada de sono ao ponto de só reparar que era um telefone tocando depois que ele já havia parado de tocar. Trinta segundos depois minha irmã aparece, perguntando quanto havia na carteira. "Sei lá, uns 300 reais?" foi a resposta. Ela saiu. Ela voltou, precisava saber a quantia exata, porque mamãe usou seus contatos bancários e achou o pai do cara em São Paulo. O pai avisou à mãe, que avisou o cidadão. Ele apareceu no trabalho da minha mãe, pegou carteira e dinheiro, agradeceu seguidamente, contou que sairia da cidade em 2 horas, só contava com o B.O. para poder viajar e deixou gorjeta de 10% pro garçom. 
Caso encerrado, comi uma [tonelada de] panqueca mui sensacional e fui dormir. Última checada no celular e a seguinte mensagem estava lá:
"Oi. Obrigado por ter devolvido minha carteira, 
nunca pensei uma vez sequer que isso pudesse acontecer hehe. 
E agradeça à sua mãe por mim mais uma vez. 
Luís."


Achei interessante que ele pensasse isso e imediatamente me toquei de que era exatamente o que eu esperaria. Com muita sorte, alguém liga pra devolver os documentos.
E foi assim que fiz minha primeira boa ação do ano. 
Agora, por favor, alguém perca uma quantia considerável de dinheiro e não me deixe saber de quem é? Grata.






18 comentários:

Natalia Máximo disse...

Eu nunca achei nenhuma carteira na rua, mas faria a mesmíssima coisa que você, inclusive a parte de manter o dinheiro, porque também duvido que fosse devolvido. E é viajado esse dono da carteira, hein?

Fabi disse...

Nada como um final feliz pra começar o ano em clima de depende-de-nóóóós.

Fabi disse...

E há um tempo me aconteceu algo parecido: esqueci o celular no ônibus, mas a cobradora encontrou e me devolveu. Era pré-histórico, não valia R$10, mas eu atravessei a cidade pra buscá-lo, porque *precisava* dos SMS.

Raissa disse...

Das carteiras perdidas, com eres retroflexos porque o cara é da minha terra!

Tati disse...

Achei pouco efusiva a resposta do cara. Vc fez uma gentileza enorme! :(

Toni Barros disse...

Mês passado fui aos Correios mandar uns cartões de Natal (sou old school, beijo) e quando chego no guichê, o cara atrás de mim na fila diz:

-Olha, você deixou cair um dinheiro aí.

Olhei pro chão e vi uma garoupa, daquela azulzinha. Eu, que só tinha levado o dinheirinho dos meus selos.

-Não é sua não? (fiz que não com a cabeça) É de alguém? (todos os bocós disseram que não)

Então ele entregou o pacote no balcão, pegou a nota e foi embora.

Às vezes dói ser honesto.

LIVIA HOLANDA disse...

Mandou bem!
Eu e Leopoldo achamos uma dessas na 210 norte com um contracheque e foi bem mais fácil localizar o dono.
O melhor dessas situações é o olhar que você recebe como agradecimento... é como se você acendesse uma velinha de esperança NA HUMANIDADE (tô drama girl hoje) dentro da pessoa. É MÁGICO! hehe
:*

Swdezerbelles disse...

Parabéns pela boa ação. Realmente hj em dia está cada vez mais difícil perder alguma coisa e tê-lo de volta desta forma. Deve ter sido uma surpresa pro Luis.

Swdezerbelles disse...

Parabéns pela boa ação. Realmente hj em dia está cada vez mais difícil perder alguma coisa e tê-lo de volta desta forma. Deve ter sido uma surpresa pro Luis.

Ju Dacoregio Paperback Writer Girl disse...

Pai do céu, se encontrassem minha carteira era capaz de descobrirem até quantos parceiros sexuais já tive, tamanha a quantidade de tralhas velhas que guardo lá.

Alana Ávila disse...

minha carteira não tem necas de dinheiro. Mentira, tem 4 moedas de um real e iriam saber tambem que coloquei aparelho nos dentes e a conta disso e tbm onde estudo.
hã.

DUVIDO QUE DEVOLVERIAM.

Alana Ávila disse...

tem selo pra tih lá no blog.

*correndo enlouquecida pro twitter..

*bonequinho enlouquecido.

Joyce Pfrimer disse...

Quer ruim pr cara perder a carteira!
Que ruim você achar a carteira e ela ser identificável..."achado não é rubado, quem perdeu foi relaxado"!

Ana Flávia disse...

primeiro: anápolis = goiânia. somos vizinhas e eu não sei? pq eu moro em gyn. que coisa emocionante.

segundo: poucas pessoas fariam o mesmo que você e sua mãe fizeram de tentar descobrir quem era o cara, e tentar algum contato, e devolver carteira com docs + dinheiro. poucas pessoas, eu imagino.

terceiro: obrigada pelo vídeo!! o cara é gênio de fazer um vídeo tão legal, de uma música tão boa, com lego!

;)

Marina Amarela disse...

congeminadora vai pro céu! (L)

Débora. disse...

=D que massa! Dá um curta ein! =P

Toni disse...

Dá um filme inteiro do Alain Resnais chamado Ervas Daninhas!

estevan sem metafísica... disse...

gostaria que você achasse minha carteira, caso eu perdesse.