.
.
.
.
.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

das táticas especiais de guerrilha



Como já mencionei algumas vezes, minha máscara é razoavelmente sólida. Confiável o suficiente pra num dia de desespero interno gritante, ter sido parada pela mãe de uma amiga, que me conhece há anos e ouvir que estava com uma aparência ótima de gente de bem com a vida.
#WIN?

Existe uma arma muito eficiente pra isso: música. 
Tenho aqui no itunes duas playlists, opostas entre si, que entram em ação em momentos distintos. Uma se chama Burns e a outra, Happy Song For Happy People [ahãm, desse tamanho, mesmo]. Visto que aqui eu não fiz uso da ironia que dizem ser minha parceira, dá pra entender as duas, né? Aliás, poderia ser classificado como ironia, porque o Happy Songs... não é o disco mais feliz que já ouvi, mas uaréva. Eu vim falar exatamente dessa lista, ou de algumas músicas que já salvaram a vida desta que vos escreve em  momentos em que o meu autocontrole estava por um fio e eu facilmente desabaria num choro de horas, com nariz inchado e milhares de lenços de papel descartados na lixeira [pra ser fina e não dizer que poderiam ser pedaços de papel higiênico e olhos limpos pela manga - OU A BARRA! - da blusa].
É uma lista abençoada, razão pela qual devemos um abraço a todos os envolvidos e um agradecimento por nos manter com expressões faciais, não só de de impávido colosso, mas de céu risonho. 

Começo com a música de um amigo, que nem imagina o quanto me tem sido útil: Bob Paraguaçú, do finado [sninf] Réu e Condenado. [rima incidental]
Mais um pouco de R puxado, porque goiano já nasce falando inglês. Vamos manter a pose com Everything Is Gonna Be Fine, do Black Drawing Chalks, pra acreditar com mais força.
Ainda na vibe Centro-Oeste, Fuck You Lady entrou naquela lista na qual cito músicas que me fazem sorrir quando começam a tocar.
Temos na próxima posição nosso amigo Dave, o gato Grohl e toda a sua patota de meninos divertidos e fodões, com The Pretender
Numa onda mais indiehypecult, vem o Modest Mouse com muitas canções, das quais vou citar apenas Dashboard, porque além de a música ser divertida, sempre me lembro do clipe e fica mais fácil botar a poker face pra funcionar.
Toda a anilidade do Blue Men Group somada à delícia do meu, do seu, do nosso Dave [opa, mais um!] em Sing Along ajudam a manter uma postura ereta na hora do aperto.
Todo mundo sabe que o BB King é um cara super risonho. Aposto que ele ouve as próprias músicas e curte Riding With The King.
Ruivo cantando no ouvido é uma coisa que re-la-xa a gente, por isso Go With The Flow entra.
Pra finalizar a lista, o campeão de me manter de pé: System of a Down, com Chop Suey, Aerials, Revenga, Spiders e tantas outras, com tarja de exclusão pra Lonely Day, porque, né?

Como sempre, tem mais, mas chega de link. Quem quiser partilhar música de manter o carão, fique à vontade, congeminemos juntos. =P


Fingir cansa pra caralho.

12 comentários:

Cachorro de 3 pernas disse...

tirando system of a down que nao representa nada na minha vida e bob paraguaçu que me faz parecer mais doida e autista que o normal, todas me fazem chorar. :P

hvezda disse...

hmmm rage against the machine? funciona pra mim :D

Tati disse...

A idéia é boa e a playlist é linda +qd+, mas infelizmente nem música bonita tem conseguido camuflar a minha carinha triste. E olha que eu venho tentado, viu. Tento mesmo, todo dia. Mas não tá rolando.

[balbina conspira] disse...

The Pretender é uma música que, além de me deixar mais feliz, faz com que eu me sinta forte. Parece que eu estou gritando a letra dela pra quem ou o que me fez chorar.
Mas às vezes eu tenho um problema com músicas felizes quando estou triste. Parece que elas estão debochando de mim...

Alana Ávila disse...

ultimamente...

Flaming moe -Acabou La Tequila

Desde sempre e um dia vai ta gravada nos meus coro: Noir Desir - Le Vent Nous Portera

e agorinha: She is Love - Oasis

curti suas listas xD
:*****

Letícia disse...

Devo dizer que da sua lista aí eu só conhecia a Sing Along e Riding With the King!

Eu sinto que já falei isso, mas eu desisti dessa técnica pra quando eu tou triste, porque depois que passa, a música meio que fica "estragada" pra mim, sabe? Eu fico lembrando do que passou. :/

Mas pra quando eu tou estressada eu ainda uso muito! A maioria são músicas de bandas suecas com jeitinho de verão (mas verão aproveitado relaxando com uns bons drink, não trabalhando morrendo de calor, como vc sabe que eu odeio :P).

Francis Leech disse...

Por que não abraçar a tristeza? Works well for me. =^***

Anafla disse...

Sobre o #Win? Sabe que eu não sei, viu. É como a gente falou ontem no twitter, finge cara boa e depois fica meio decepcionada que a pessoa não conseguiu ver que era uma máscara, né? no caso da mãe da sua amiga, pode até ser que tenha percebido, mas às vezes as pessoas não comentam para não arcar com as 'consequências'.

E, bom, eu não sou boa em esconder cara triste. ou em esconder cara de decepcionada. ou qq tipo de cara que eu faça.

Minhas playlists são todas pensadas de forma com que eu continue naquela mesma vibe de quando comecei a escutá-las. Tipo, tô triste e escuto música triste, fico triste. Tô normal e escuto música triste, fico normal. e por aí vai...mas sempre ponho lá uma ou outra mais animadinha pros períodos (um pouco) felizes.

Preciso nem comentar a sua playlist. tão boa. e com algumas coisas que eu não conhecia (o que eu adoro fazer, conhecer música nova).

Beijoo Conge! (e obgda pelo comment ontem :] )

dyghu disse...

Também agradeço a música por estar comigo em momentos q ninguém esteve! Obrigado música :D

Dylana Suarez disse...

Super lovely blog!

xoxo,

colormenana.blogspot.com

Ericka Rocha disse...

A vida anda dura e a minha playlist enjoativa. Juro que vou tentar a sua!
Espero que na mesma proporção que entre a música saiam os maus sentimentos... E não só se camuflem...

=]

silasleft disse...

Puts!!! Bob Paraguaçú foi tenso demais pra mim... Não sabia se chorava ou se ria...kkkkk