.
.
.
.
.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

das descobertas


Cês sabem que eu tenho uma primafilhada, né? E ela tem uma maydrinha.
A Luluca, pra quem não sabe, é moreninha jambo e tem cabelo muito escuro, muito liso e muito pesado, o que sempre fez as primas retardadas cantarem pra ela, especialmente na hora de lavar a cabeça, "Índia, seus cabelos, índia, seus cabelos, índia, seeeeeus cabelos!", com vozes esquisitas, enquanto bagunçam o cabelo da criança. Acho que só acrescentei a parte do "nos ombros caindo", e só ela, uma vez, vejam só. A reação é sempre a mesma: um risinho e um "páaaaaara, gente! Tia Jaaaane, olhaMayraeaMaysaquifalandoíndiaseuscabelossemparar!" seguido de mais risinhos.
Bom, a moça que cuidava da Lu teve uns pobreminha [aliás, o mundo é um lugar bem bizarro, viu?], precisou se afastar e agora trabalha como diarista. Pois bem, hoje ela veio trabalhar aqui em casa e me contou um lance fofo e engraçado:
Na hora do banho, Luísa pergunta à babá:
_Alessandra, você sabe cantar aquela música [engrossa a voz] "Índia, seus cabelos, índia, seus cabelos, índia, seus cabeeeeelos"?
_Não, Lu, não sei. Que mais que tem na letra?
_É só isso mesmo.
_Mas por que você quer saber se sei cantar essa música?
_Ah, é que minha prima canta pra mim e eu fiquei com saudade.


Ô, gente?
Sério
SÉRIO.