.
.
.
.
.

terça-feira, 8 de maio de 2012

das aleatoriedades IX




Em pouco menos de um mês eu recebi notícias do falecimento de duas pessoas muito queridas. De um deles eu falei aqui e o outro está em vários textos do blog, sem nomes, por motivos vários. O que me consolou é acreditar, sem hipocrisia, que a morte foi simplesmente o fim do sofrimento deles. Mentira, tem outra coisa: fiz o possível pra mostrar aos dois o quão importantes eram e, olha, a sensação é de paz. Ainda rola uma poeirinha nos olhos, mas no fim das contas a gente tem que saber perder as pessoas, e é bom que se aprenda rápido.

Há alguns dias finalmente se instalou o som da sala de TV aqui em casa. Desde a mudança que eu só ouvia música no computador e ele nem tem o som mais legal do mundo. Assim que arrumaram os treco tudo, pensei em ouvir meus discos do Mogwai quando estivesse sozinha em casa e isso foi num sábado. No domingo eu acordei, saí do quarto e percebi que tocava uma música do Mr. Beast na sala; ignorei a vontade de ir ao banheiro, fui ver do que se tratava e era minha mãe vendo um filme.
_Mãe, que que cê tá vendo, de onde é essa música?
_Bonita, né? Tava aqui botando reparo, é linda, linda. Tava vendo Criminal Minds.
_Gente, isso é Mogwai!
_Mesmo? Tô gostando. 

MINHA mãe. :D
[No próximo sábado eu assistirei ao show deles e aí falta pouca coisa pra eu poder morrer em tranquila.]


Continuo fascinada pela visão das pessoas. Não pela parte técnica, física, biológica, o escambal, mas por como cada um decide que vai ver a realidade. Vou observando e me espantando, porque sou bocó, com a catarata generalizada, é impressionante.



Outro dia observei que alguns gestos de carinho ou cuidado [não vou usar a palavra "amor" aqui, já que ela tende a ser um pouquinho distorcida] são aparentemente tão pequenininhos que a gente passa por eles sem reparar.
Uma dessas provas de carinho é, sem a menor dúvida, aquecer o pé do outro. Veja bem: quem tem pés gelados costuma sofrer com isso, principalmente durante as noites mais frias; quem os tem quentes não quer perder esse calorzinho e provavelmente ficaria bem puto se fosse obrigado a mantê-los encostados em algo com temperatura próxima do zero absoluto, como é o caso de alguns pés. Sendo assim, se a pessoa com maior temperatura pezal decide de livre e espontânea vontade aquecer os pezinhos menos privilegiados está automaticamente provando que se importa bastante com ela. 

E isso, meuzamigo, apesar de parecer uma besteirinha de nada, não é pouco.


----> Também não é pouco: hoje é aniversário da Tadsh, tigre lindo das nossas vidas e da Andrea, maricota coisa fofa. Feliz dia, suas lindas! \o/