.
.
.
.
.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

dos finais



Comer toda a caixa de morangos antes que eles comecem a mofar. Usar a a maquiagem antes que saia do prazo de validade. Beber o copo de coca enquanto ainda tem gás.
Às vezes algo se acaba antes de começar a se estragar. 
Isso acontece com as coisas boas e com as mais ou menos. Quando uma série é encerrada antes de se esgotar, quando fazem um desfecho acertado, coerente com o resto da história, fica só um sorriso de "puxa, como foi bom" no lugar do amarguinho renitente no fundo da língua a cada referência, lembrança ou conexão absurda feita pelo cérebro. 
Ver que finais não precisam, necessariamente, ser uma merda.




Escrevi e reparei que essa pode ser considerada mais uma ramificação da Teoria Dos Cheiros.