.
.
.
.
.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

dos posts sem título


Às dezetrintaetrês da manhã que sucede uma noite mal dormida - mal, porque pouco dormida - tô eu aqui, de janela aberta (nota importante: nunca abro a janela antes de 13h. O sol nasce ali naquele cantinho, bem à frente dos meus olhos, sabe? E eu, fotofóbica assumida, não me amarro muito), agradecendo aos céus que o sol tenha resolvido se esconder, e reclamando que ele aparece bem quando eu falo isso. Obra em casa, tudo virando pó, se desmanchando no ar [Marx, oi?] e adentrando cada fresta, cada greta, cada canto do meu quarto, aquele mesmo, que deveria ser um santuário anti-pó. E o que dizer além de... FUDEU, JOSÉ!? O jeito é esperar a galera terminar o serviço e começar o meu, de limpeza.

Mas, hmm... não era sobre isso que eu queria falar.

Ontem fui, finalmente, assistir a Up e só tenho uma coisa a dizer sobre o filme:
Eu me escondi embaixo da sua varanda, porque eu te amo
.

Oi, acabei de te conhecer, mas eu já te amo!

O dia em que alguém disser isso pra mim, eu caso [ok, pode ser que não case, mas vou gostar].


Ó, o dia mais estranho do ano tá a caminho e vem em passos largos. Tipo ainda ontem eu tava arrumando todo o esquema da festeenha que rolou e abalou um raio de aproximadamente 160 quilômetros ao redor de Anápolis. Tá, não foi assim, também, mas foi beeeem legal. E ela gastou toda a minha cota de festas da vida, eu acho. Parece que esse dia 13 vem sem muitos atropelos, é verdade, minha tia disse que vai me dar um perfume que eu quero muito e eu trabalho até quase tarde na terça feira.
Não sei se parei com aquela mania de me esconder no dia do aniversário, até porque ano passado foi meio atípico, mas pode ser que eu esteja ficando mais sociável, ou pode ser que o meu refúgio habitual não esteja disponível esse ano, vejamos o que acontece.


Pausa.

Quebradeira.

Limpeza.
Obrigações.

Almoço.

Viagem.

Presentes.

Conversa.

Rua.

Sapatilhas.

Luluca.
Shopping.

Jantar.
Mais conversas.
Escolha de presentes.
Casa.


Daí que eu comprei mais sapatos do que preciso, por pura ganância. E porque a promoção tava sumpimpa! E porque eu tenho uma leve compulsão por sapatos, também.

E porque o sono me rouba a linha de raciocínio, paro por aqui.

Parece-me que havia algo importante sobre o que falar. Alguma coisa relacionada a aniversário, rugas que se aproximam, não se importar com a idade - especialmente quando ninguém acredita que eu passei dos vinte [vai entender...]. Acho que ia falar sobre pessoas que voltam pra vida da gente e fazem uns sorrisos e umas gargalhadas aparecerem e deixam o dia mais leve. E comentários sobre irresponsabilidades que, por pura sorte, não deram em nada vieram à mente também. Mas tô começando a fazer muito mimimi e é melhor parar de verdade.



Em tempo: aceito presentes de dia das crianças.;D




6 comentários:

Tati disse...

Juro que te mando um presente. Ainda não achei nada que te mereça [e nem vou achar, mas], mas eu tenho que achar algo que signifique pelo menos 10% do que vc é prá mim e te mando um presente. Correio voltou, o momento é agora.

(L)

Toni Barros disse...

Tem varanda na sua casa?

Joyce Pfrimer disse...

eu escondi sua festa de aniversário porque eu te amo!

=D

carmim disse...

feliz aniversário.

tiago araujo disse...

oi, éeer, cheguei atrasado pra alguma coisa ou evento especial?

;D

Nestor disse...

você já tem cachorros?