.
.
.
.
.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

das madrugadas, corridas e respostas



São exatamente 10:04 da manhã. 
Eu acordei ontem às 16:30. 

Quase todo mundo que me conhece sabe que não sou exatamente uma pessoa diurna. Alô, fotofobia mandou um beijo. E não me vem com essa onda de que fotofóbico é bicho, gente tem hiperfotossensibilidade. Se você soubesse a dor e o incômodo que eu sinto quando essa bagaça ataca, entenderia que eu posso, sim, ter MEDO de luz. Me desviei um pouquinho do assunto. Dizia eu que a aritimética não sou uma pessoa diurna, no entanto gosto das primeiras horas de luz e das últimas. A madrugada sempre me apraz e o fim da tarde me parece um horário deveras confortável. 
Bom, o fato é que depois de terminar de ser torturada um trabalho pendente, o cérebro estava travando e o corpo ainda tinha energia suficiente pra muitas horas acordado. Coloquei minha calça de sei-lá-o-que [taí. Do que são feitas as roupas de ginástica hoje? Não é helanca, não é lycra, não me parece cotton. Quedê profissional da indústria têxtil pra me responder? ok, minha mãe deve saber], minha camiseta do Fred Flintstone, meu tênis de corrida, amarrei o cabelo [e aqui um comentário válido e eu aposto que mulherada vai me entender: ontem à tarde acordei, lavei o cabelo e passei muuuuitas horas com um coque. No meio da madrugada ele tava legal e eu pensei que ele nunca fica assim quando eu preciso. Na hora de sair, o bichão tava lindo, brilhando, com uns cachos enormes que pareciam feitos com horas de bobs e laquê. Pra que? Pra amarrar e lavar 73 minutos depois], enfiei meus óculos escuros, catei o iPod e fui. Andei uns 40 minutos e resolvi arriscar uma corridinha até minha casa. 
 - PAUSA - 

Uma vez, numa época mais hardcore da vida, grupinho de amigos resolveu ver o dia amanhecer num dos pontos mais altos da cidade. Chegamos lá e outra ideia brilhante surgiu: ver o sol nascer do alto do prédio que, à época, estava em construção. Claro! Fomos. No primeiro lance de escada o alarme disparou, disparamos juntos e só paramos de correr quando já estávamos dentro do carro. Ouvi o seguinte comentário: Nunca te imaginei correndo na vida. Correndo pra, sei lá, apagar o fogo, que o bolo tá queimando, mas nunca, assim. 
True Story.
-FIM DA PAUSA-

Passei pela minha casa e havia muito fôlego ainda, então resolvi correr até o fim da rua. Ainda me pergunto de onde surgiu tamanha estupidez. Cheguei no fim da quadra quase chorando de dor nas pernas, o pulmão parecia ter se comprimido pra dar espaço pro coração que queria sair pela garganta. Sorte que a garganta estava absolutamente fechada, não entrava nem saía nada por ela. Terminei a volta no quarteirão andando calmamente, suando feito tampa de marmita e pensando que já peguei sol suficiente por pelo menos uns 15 dias. Posso voltar à vida de vampiro. Parte triste da história? Cheguei em casa ouvindo Al Otro Lado Del Rio e no banho Estoy Enamorado tomou conta da rádio mental. Suponho que a culpa seja da língua, afinal é tudo espanhol, mas... Trágico, meusa. Trágico, pra dizer o mínimo.

 Algumas pessoas me perguntaram sobre o lance do gás carbônico que eu mencionei no post anterior, então dei uma olhada pra responder com propriedade. Lembrem-se de que quando pensei isso, estava naquele estágio de consciência em que sua mãe pode entrar no quarto e perguntar "Cadê o frasco de inseticida?" e você responderia numa boa "Tá na minha boca, mãe.", sem pestanejar e sem memória disso no dia seguinte. 
Ou seja.
 De qualquer forma eu me lembrava de algo assim, se não não teria pensado claramente na hipótese de atrair mais insetos se mantivesse o gás carbônico ao redor da minha doce carinha dorminhoca. Na olhada me incomodei muito com o fato de várias páginas terem "O fim da picada" como título, fato que demonstra a quantidade de tios do pavê espalhados pela internet. Um deles [eles = sites, não os tios do pavê] tinha uma explicação que achei bem justa. Poderia achar melhores, mas essa me satisfez. Então, sim, insetos são atraídos pelo gás carbônico que eliminamos tanto na respiração quanto no suor, o que explica muita coisa.

E a cerca! Calma, tá tudo bem agora. O rapaz gentil [e eu não me dou bem com o nome dele. O cara se chama Wiris e toda vez que minha mãe fala que o Wiris tá vindo em casa eu me pergunto por que raios o Íris viria aqui, ninguém gosta dele, pô!] veio, me salvou daquela barulheira infernal que os patos fanhos imitadores de cigarra faziam. E esse moço legal falou que eu poderia, sim, ter destruído a sirene com um cabo de vassoura, que interromperia o barulho e comprar outra era baratinho. Perdi uma boa chance de destruir algo.


São exatamente 11:20. Alguém falou pro meu cérebro que está proibido dormir e ele acatou.  E agora, José?

7 comentários:

Tati disse...

Eu também venho me perguntando o nome do material dessas calças esportivas modernas. Achando a resposta, me bipa. ;)

Livia Holanda disse...

Acho que é de SUPLEX a sua calça. Se for um material gostosinho, meio gelado e não brilhante, acho que é isso mesmo. E se tiver comprado na feira do paraguai, esteja certa de que é esse o nome (lá só tem disso! hahaha).

;)

Cachorro de 3 pernas disse...

é esse suplex aí ou algodão com lycra. Tenho uma outra que é de umas coisas estranhas, mas ela é do supermercado e da TAEK, oi? Né?
Comprei um treco da Raid que tem mantido até os cascudinhos longe, mas fui assistir aula na unb e todo o cuidado em casa, filtro solar pras manchas sumirem, o roacutan e etc foram por água a baixo... 15 picadas minha perna e duas nos meus braços. Em 1h e meia de aula de chinês. Esses fdps devem ter aprendido mais que eu tb. Malditos.

Orelha ® disse...

Correr tai uma coisa que não faço sem ser para não ser assaltado, salvar minha vida ou escapar de uma cena de crime(a terceira ainda não tive oportunidade, isso se eu não pensar na primeira como cena de crime mas é que se fujo do assalto ao meu ver não houve um crime... uereva)

Nasceres do sol são legais, adoro eles na praia, sempre que posso fujo do tumulto das pessoas e vou sentar na areia com (normalmente a ultima) uma lata de cerveja olhar e pensar nos meus pensamentos.

Claro que todos ficam achando que estou só fugindo pra não dividir a ultima cerveja mas no fundo nem é isso.


E como assim alarme em predio em construção? vão roubar o que? tijolo?

Alana Ávila disse...

meu comentario sumiu :O
SUMIU :O

que pais é esse meu gsuis?

Os traficantes tacaram fogo?:O

Swdezerbelles disse...

Correr.. algo que eu tenho tentado a semanas. "/

Me acabei de rir aqui. Só eu achei engraçado a parte que o tiozinho do pavê diz que não se sabe exatamente o porque homens são mais picados que mulheres?? "Odores emitidos por eles atraem mais insetos." De qualquer forma, homens geralmente suam mais, então está explicado.

Ótimo post, me divirto com eles. =D

Letícia disse...

Hahaha, os tios do pavê. Meu cunhado é praticamente um tio do pavê, é quase como ter um ator do Zorra Total em casa, com a diferença de em vez de ter a mesma piada todo sábado, tenho todo dia, mesmo. Mas olhaí, não sabia do lance do gás carbônico atrair os insetos. Não sei o que farei a respeito, já que eu também cubro o rosto com o lençol pra me livrar deles, mas vou pensar. :P